Fundação Sara Maria Furman


Fundada en 1980 por Don Boris Furman.

11.5 °c

Parcialmente nublado
V: 2.1 km/h / H: 42%
S. C. de Bariloche

Weather Underground

+54-294-4441031 / 1035 Av. De los Pioneros Km 5,000 San Carlos de Bariloche, Río Negro, Argentina

Fundada en 1980 por Don Boris Furman.

Fundação Sara Maria Furman

Um verdadeiro exemplo de solidariedade!!!!!!

A Fundação Sara Maria Furman é uma entidade sem fins de lucro e também é a proprietária do Complexo Turístico Cerro Otto. Para entender o porquê da existência desta organização é necessário conhecer quem foi o Sr. Boris Furman e a sua história.

Boris Furman nasceu no dia 24 de junho de 1916, no berço de uma humilde família de imigrantes russos judeus e, desde criancinha, recebeu os ensinamentos de sua mãe Sara que, conhecendo as dificuldades de viver em um país diferente do próprio, mostrava que sempre havia alguém muito mais necessitado que eles.

Quando completou 14 anos, Boris começou a trabalhar como “office boy”  numa alfaiataria e, dois anos depois, como vendedor.  Paixão pelo ofício  e perseverança foram os principais ingredientes para conquistar, com apenas 22 anos, sua própria alfaiataria em Santa Fé, cidade onde nasceu. Logo, mudou-se para a Capital Federal onde montou uma das lojas de alfaiates mais conhecidas do país: Rocha Casemires.

Durante a década de 60, Boris viajou para Bariloche junto com seu melhor amigo. Nesta ocasião conheceu o Cerro Otto e ficou apaixonado por ele e suas paisagens. Sua visão empresarial fez com que ele desejasse adquirir as terras para instalar um meio de elevação que faria com que as pessoas também pudessem apreciar tudo aquilo que ele havia visto.

Aos 50 anos de idade, e com uma vasta experiência comercial, Boris finalmente comprou as terras que, naquele momento, eram de propriedade do Exército Argentino. Foi assim que começou a concretizar o seu sonho dourado: construir um TELEFÉRICO para chegar ao topo da montanha. Após estudos minuciosos do terreno, viajou para Viena, na Áustria, para trazer os experts em teleféricos da firma Rudol Kienast. Em 1967 foi iniciada a obra que, na época, foi considerada a mais importante da América Latina em matéria de Turismo. Anos depois, em 1974, o teleférico estava pronto: o sonho finalmente era uma realidade!

Os sonhos de Boris Furman nunca tiveram limites! Ele não só perseverou e trabalhou muito, como também idealizou uma nova obra na montanha. Foi assim que, em pouco tempo, construiu uma confeitaria exatamente no cume da Montanha. A confeitaria não era como qualquer outra: ERA GIRATÓRIA.  Com esta característica especial ela foi convertida na única confeitaria giratória da América do Sul. Para Bariloche, sem dúvida, seria uma grande atração turística.

Com o crescimento da cidade e da demanda turística, também os projetos do Sr. Furman cresciam: ele tinha a intenção de criar um verdadeiro complexo turístico com diferentes atividades destinadas ao incremento do turismo.

Em uma viagem que fez à Itália, ficou deslumbrado com as três esculturas mais importantes de Michelangelo Buonarroti: David, La Pietá e Moisés. Com o consentimento e certificação do governo Italiano, Boris solicitou à Galeria de Arte Pietro Bazzanti que fizesse os moldes exatos, e em tamanho natural, das esculturas. Uma vez terminadas, Boris construiu uma Galeria de Artes, única do tipo em cima de uma montanha. Nela estão expostas, permanentemente, as cópias fiéis das esculturas de Michelangelo.

Quando recuperou as finanças, e lembrando sempre dos ensinamentos de sua mãe, decidiu criar uma fundação de ajuda ao próximo. O nome da fundação foi uma homenagem à sua mãe Sara e à sua irmã Maria: Fundação Sara Maria Furman. Esta é proprietária do Complexo Turístico Cerro Otto.  A partir da formação da fundação, todos os lucros obtidos com o Complexo Turístico são destinados, em partes iguais, para o Hospital Zonal (público) de Bariloche e para duas outras entidades que ajudam a comunidade Judia em Buenos Aires. Um dos slogans que caracterizam o complexo é: “COMPLEXO TURÍSTICO TELEFÉRICO CERRO OTTO.... ONDE O PRAZER TEM UMA FINALIDADE SOLIDÁRIA!” Porém, este espírito solidário nunca conheceu limites: em 1980 também criou uma Panificadora de 500m2, no bairro Santa Rosa de Lima, em Santa Fé, com o intuito de abastecer gratuitamente 1.200 famílias carentes com 1.200kg de pães diariamente.

Infelizmente, com a crise social e financeira dos anos 2000, a panificadora teve que fechar as suas portas no ano 2002. O sonho de uma possível reabertura ficou sem poder ser concluído como desejava o Sr. Boris Furman, que faleceu no dia 13 de abril de 2007.

Conforme o seu desejo, suas cinzas foram enterradas na base da estação inicial do teleférico. Durante a cerimônia o gerente geral do estabelecimento, o Sr. Oscar Borrelli, anunciou que estava trabalhando para que fosse feita a reinauguração da panificadora, já que “seria a melhor homenagem a uma pessoa que foi exemplo de amor, trabalho e de ajuda ao próximo”.

Dois anos mais tarde, no dia 15 de abril de 2009, a Panificadora Solidária finalmente reabriu no mesmo lugar em que estava com um visual totalmente remodelado e com maquinaria moderna e atualizada. Isso foi possível graças a um convênio entre a Fundação Sara Maria Furman e o Governo de Santa Fé. Os produtos são destinados em parte para merendeiros comunitários e em outra para a venda a preços muito baratos naquele Estado.

É por este motivo que, para falar da Fundação Sara Maria Furman é necessário relembrar sempre do seu fundador cujas obras falam por si só de um homem com visão de negócio, mas principalmente por ter sido ele um homem com um espírito solidário que ultrapassou fronteiras para concretizar os seus sonhos de ajudar o próximo. 

 

VALORES DOADOS PELA FUNDAÇÃO SARA MARIA FURMAN NOS ÚLTIMOS ANOS:

  • Donación correspondiente al ejercicio cerrado al terça, 30 de abril de 2013: $4,000,000 (QUATRO MILHõES DE PESOS)
  • Donación correspondiente al ejercicio cerrado al quarta, 30 de abril de 2014: $6,000,000 (SEIS MILHõES DE PESOS)
  • Donación correspondiente al ejercicio cerrado al quinta, 30 de abril de 2015: $9,000,000 (NOVE MILIONES DE PESOS)
  • Donación correspondiente al ejercicio cerrado al sábado, 30 de abril de 2016: $11,000,000 (ONZE MILLONES DE PESOS)
  • Donación correspondiente al ejercicio cerrado al domingo, 30 de abril de 2017: $13,200,000 (TREZE MILIONES E DUZCENTOS MIL DE PESOS)

Boris Furman.
Panificadora.

Fundação Sara Maria Furman

Filho de imigrantes.

Boris Furman.

24 DE JUNHO DE 1916 – 24 DE JUNHO DE 2016
CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE UM HOMEM QUE DEIXOU MARCAS PROFUNDAS

No dia 24 de Junho de 2016 foi o centenário do nascimento do Sr. Boris Furman, homem que tinha uma enorme filantropia e compromisso social cujas ações falam por si só. Tanto que, no dia 1º de junho de 2016, a Declaração nº 104 foi aprovada por unanimidade pelos Legisladores do Estado do Rio negro. A declaração dispõe que “é de interesse social, cultural e turístico as atividades desenvolvidas em benefício da comunidade e o fortalecimento do turismo pela Fundação Sara Maria Furman, com sede na cidade de São Carlos de Bariloche, em reconhecimento ao seu criador Boris Furman”.

Boris Furman nasceu na cidade de Santa Fé no dia 24 de junho de 1916. Filho de imigrantes de origem judaica conheceu a extrema pobreza no seu próprio lar. Esta condição não o deprimiu e o levou a encontrar formas de ajudar àqueles que eram ainda mais necessitados. Sem sombra de dúvidas, os ensinamentos de sua mãe, Sara, ficaram marcados a ferro e fogo em seu coração: “sempre tem alguém muito mais necessitado que nós”

A vida em família e a união que tinha com eles, fez com que Furman começasse a trabalhar desde muito novinho. Com apenas 14 anos era office boy de uma alfaiataria e, anos mais tarde, tornou-se o proprietário de uma importante loja de roupas finas chamada ROCHA CASEMIRES, onde eram confeccionados ternos e camisas de luxo.

Em 1970, em uma viagem a Bariloche, decidiu subir no cume do Cerro Otto. Naquele momento, havia apenas uma cabana de vidro que era resguardada pelos guardas florestais. No entanto, quando viu a paisagem que rodeava o lugar.... ficou apaixonado. Já em Buenos Aires decidiu fazer todo o possível para obter as devidas permissões para montar em cima da montanha um complexo turístico que tivesse uma confeitaria giratória e que as pessoas pudessem subir facilmente por meio de um teleférico. No entanto, o maior objetivo por trás de tudo era o próprio slogam “Cerro Otto S.A: uma sociedade comercial diferente, com focos diferentes...”

Quatro anos depois o sonho de ter construído um teleférico já havia se tornado realidade e, em 1980, quando começou a ter lucros com o investimento, ao invés de acumular os ganhos preferiu formar a Fundação Sara Maria Furman. Desde então, o total dos ganhos obtidos são DOADOS PARA ENTIDADES PÚBLICAS:  Hospital Zonal de Bariloche e duas entidades da comunidade Israelita de Buenos Aires (Fundação Novo lar e centro de velhinhos LeDor VaDor  e Associação Civil Ory para Crianças com deficiências). A última doação realizada em 2015 bateu o recorde de NOVE MILHÕES DE PESOS!

A excursão ao Teleférico Cerro Otto é uma das atrações mais tradicionais de São Carlos de Bariloche, graças aos esforços constantes da equipe de trabalho liderada pelo gerente geral Oscar Borrelli e pelo conselho administrativo da Fundação Sara Maria Furmam, dona do Complexo Turístico Teleférico Cerro Otto.

Conjuntamente com o Teleférico e suas diversas atividades, agregadas ano após ano, pode-se mencionar outras obras de beneficência, como por exemplo: doação de terras e edifícios, contribuições a diversas organizações sociais e a criação de uma Panificadora Solidária, localizada em um bairro de trabalhadores de Santa Fé. No início, a panificadora realizava uma doação de 1.200kg de pães por dia para famílias carentes. Atualmente produz todo tipo de panificações além de oferecer capacitação para presos que estão em regime de prisão semiaberto como forma de reinserir os mesmos à sociedade.

Após muitos anos de esforço, dedicação, trabalho e amor aos mais humildes, Boris Furmam faleceu no dia 13 de abril de 2007, com 90 anos de idade. Deixou uma imensa herança de ensinamentos àqueles que continuam trabalhando em suas obras de caridade.

Panificadora Solidária

Uma das obras mais importantes da Fundação

Junto com o Complexo Turístico Cerro Otto, uma das obras mais importantes da Fundação Sara Maria Furman é, com certeza, a Panificadora Solidária. O objetivo principal de sua criação era fabricar 1.200kg de pães, por dia, para abastecer a 1.200 famílias moradoras de um dos bairros mais carentes de recursos do Estado de Santa Fé.

Inaugurada em 1988, teve que encerrar suas atividades no final do ano 2000 em razão da grande crise política e social que ocorreu na Argentina. Além disso, em consequência das enchentes que o Rio Salado provocava quando chovia muito, o edifício da panificadora ficou completamente deteriorado. Por essa razão, o governo do Estado de Santa Fé concedeu um subsidio a Fundação para que o empreendimento pudesse ser restaurado.

Infelizmente, e sem poder ver o seu maior sonho ser concretizado novamente, no dia 13 de abril de 2007 o Sr. Boris Furman faleceu em Buenos Aires. Para realizar o seu desejo, os integrantes da Fundação Sara Maria Furman, do Complexo Turístico Cerro Otto e da Panificadora Solidária resolveram firmar um compromisso de realizar o sonho do Sr. Boris. Assim, no dia 15 de abril de 2009, a Panificadora reabriu suas portas.

O Governo de Santa Fé, através do Ministério de Desenvolvimento Social, da Secretaria de Assuntos Penitenciários e do Ministério da Justiça e Direitos Humanos assinou um acordo com a Fundação para que a Panificadora Solidária Sara Maria Furman promovesse capacitações de modo a ajudar os presos, com penas de regime semiaberto, a se recolocarem no mercado de trabalho ensinando-lhes um ofício e, assim, reinserir os mesmos de volta à sociedade. Em razão disto.

Para tanto, a Fundação colocou, em comodato, para o Instituto Autárquico das Indústrias Penitenciárias as instalações, as mobílias, as ferramentas e maquinário necessário para a fabricação dos panificados. Já o Ministério de Desenvolvimento Social, proporciona os fundos necessários para o pagamento de programas sociais, dá assessoramento e provêem recursos técnicos, administrativos, farinha e insumos necessários para o perfeito funcionamento do programa de reinserção de apenados à sociedade.

Os trabalhadores produzem, diariamente, diferentes variedades de pães, bolos, pães doces, massas de pizza e farinha de rosca. A maior parte destes alimentos tem um destino certo: abastecer restaurantes populares e, o restante, é comercializado a preços muito baixos para os cidadãos.

Fundação Sara Maria Furman

Contato.

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

.


Teleférico Cerro Otto

Como Chegar?

Vista da Rua

Centro Cívico

Aeroporto

Cabanas